Categoria Destaque

MESA BRASIL INICIA O ANO REALIZANDO REPASSE DE 9 TONELADAS DE ALIMENTOS

Os mantimentos foram concedidos às entidades sociais que atendem famílias em vulnerabilidade nutricional e social

Na quarta-feira, 12 de janeiro, o Mesa Brasil – programa que há 18 anos vem atuando na redução do desperdício de alimentos, minimizando a fome e promovendo a solidariedade em Rondônia – realizou o repasse das 9 toneladas de alimentos não perecíveis que foram arrecadados por meio da campanha Natal sem fome. A campanha – iniciativa do Porto Velho Shopping, em parceria com a Ong Ação da cidadania na luta contra a fome no Brasil; o Sistema Fecomércio/Sesc/Senac de Rondônia e a TV Allamanda – foi realizada de 19 de novembro a 30 de dezembro, e teve como objetivo sensibilizar a população para contribuição da ação solidária, por meio de doações de alimentos não perecíveis, produtos de higiene pessoal e de limpeza; e também através de contribuições via QR Code. O resultado atingido ultrapassou a meta inicial do projeto. Tal sucesso é resultado da iniciativa da população, aliada aos esforços coletivos dos parceiros envolvidos.

O Sistema Fecomércio/Sesc/Senac de Rondônia, por meio do Mesa Brasil Sesc, foi um dos parceiros da campanha e realizou o repasse dos mantimentos para 17 entidades sociais devidamente cadastradas no Programa. As entidades, por sua vez, realizarão o atendimento às famílias em vulnerabilidade social em Porto Velho.

“Fomos convidados pela representante do Porto Velho Shopping para atuarmos nesta campanha como unidade recebedora, pela expertise que o programa tem em realizar toda a logística de distribuição e acompanhamento das organizações finais envolvidas; pelo comprometimento com as causas sociais e sensibilidade no trato com as pessoas em situação de vulnerabilidade; além da transparência em todos os processos de doações que são realizados através do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac. Estamos muito felizes por cumprir com a nossa missão contribuindo para a segurança alimentar e nutricional de pessoas em vulnerabilidade social, mediante a distribuição de alimentos doados através de parceiros na luta contra à fome”, comentou a coordenadora do Programa Mesa Brasil Sesc Rondônia, Valécia Miranda.

Mesmo ciente da importância que iniciativas como a do Natal sem fome têm ao longo do ano, Valécia Miranda ressalta a importância de iniciar 2022 com um atendimento efetivo às pessoas que estão em situação de vulnerabilidade. “Esta ação é super necessária e de grande importância, tendo em vista que o momento que estamos vivenciando não tem sido fácil para muitas famílias que dependem da renda de serviços informais e que são assalariados que ficaram desempregados com a pandemia”, pontuou a coordenadora do Mesa Brasil Rondônia.

Para dúvidas e demais esclarecimentos, os interessados podem enviar e-mail para mesabrasil@sescro.com.br

SOBRE O MESA BRASIL SESC           

O Sistema Fecomércio/Sesc/Senac de Rondônia, através do Serviço Social do Comércio – Sesc, possui uma rede nacional de bancos de alimentos contra à fome e o desperdício, mais conhecida como o Mesa Brasil Sesc. Seu objetivo é contribuir para a promoção da cidadania e a melhoria da qualidade de vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social, através de ações educativas e de distribuição de alimentos excedentes ou fora dos padrões de comercialização, mas que ainda podem ser consumidos. Dessa forma, o Mesa Brasil Sesc contribui para a diminuição do desperdício e reduz a condição de insegurança alimentar de crianças, jovens, adultos e idosos. Em ambos os polos desse percurso, as estratégias de mobilização e as ações educativas incentivam a solidariedade e o desenvolvimento comunitário.

Prêmio Sesc de Literatura abre inscrições para edição 2022

As inscrições são gratuitas e os escritores podem concorrer com obras inéditas nas categorias Conto e Romance

A partir desta segunda-feira, 10 de janeiro, estão abertas as inscrições para oPrêmio Sesc de Literatura – um dos mais importantes e consagrados do país na distinção de escritores inéditos. Podem concorrer autores não publicados nas categorias Romance e Conto. O Prêmio avalia trabalhos com qualidade literária para edição e circulação nacional. Os interessados têm até 11 de fevereiro para concluir o processo de inscrição, que é gratuito e online. O regulamento completo pode ser acessado em www.sesc.com.br/premiosesc.

Ao oferecer oportunidades aos novos escritores, o Prêmio Sesc de Literatura impulsiona a renovação no panorama literário brasileiro e enriquece a cultura nacional. Os vencedores têm suas obras publicadas e distribuídas pela editora Record, parceira do Sesc no projeto, com tiragem inicial de 2.500 exemplares. O anúncio dos vencedores será divulgado no mês de maio.  Desde a sua criação em 2003, mais de 17 mil livros foram inscritos e 33 novos autores revelados.

A parceria com a editora Record contribui para a credibilidade e a visibilidade do projeto, pois insere os livros na cadeia produtiva do mercado editorial. “Chegamos à 19ª edição com o propósito de revelar novos escritores, que é nossa maior meta. A premiação foi criada em 2003 e se consolidou como a principal do país para autores iniciantes. No ano passado, tivemos a inscrição de 1.688 livros, sendo 850 em Romance e 838 em Conto. O cronograma não foi afetado pela pandemia, porque foi todo executado por trabalho remoto. Dessa forma, o resultado pôde ser divulgado no prazo previsto” explica o analista de Literatura do Departamento Nacional do Sesc, Henrique Rodrigues.

O processo de curadoria e seleção das obras é criterioso e democrático. Os livros são inscritos pela internet, gratuitamente, de forma anônima. Isso impede que os avaliadores reconheçam os reais autores, garantindo a imparcialidade no processo de avaliação. Os romances e contos são avaliados por escritores profissionais renomados, que selecionam as obras pelo critério da qualidade literária.

A relevância do Prêmio Sesc de Literatura também pode ser medida por meio do sucesso dos seus vencedores, que vêm sendo convidados para outros importantes eventos internacionais, como a Primavera Literária Brasileira, realizada em Paris, o Festival Literário Internacional de Óbidos, em Portugal, e a Feira do Livro de Guadalajara, no México.

Vencedores 2021

Na edição de 2021, foram vencedores o paraense Fábio Horácio-Castro, com o romance O réptil melancólico, e o pernambucano Diogo Monteiro, com a coletânea de contos O que a casa criou receberam o Prêmio Sesc de Literatura. A origem dos autores reafirma o estímulo da premiação à diversidade e a capacidade de projetar escritores das mais distintas regiões do país.

Fábio Horácio-Castro, jornalista de formação, tem 52 anos, e é professor universitário. “É a minha primeira participação no Prêmio Sesc e não esperava vencer na categoria. Escrevo mais sobre pesquisas relacionadas à Amazônia. Como eu tinha um projeto deste livro, aproveitei o isolamento da pandemia, finalizei a obra e me inscrevi. Fiquei muito contente com o retorno”, contou. Diogo Monteiro, de 43 anos, também é jornalista e atua com pesquisa de opinião e estratégia. “Sempre escrevi e participava de algumas coletâneas, mas nunca tinha pensado no Prêmio Sesc. Em 2021, tive um livro infantojuvenil publicado. Depois veio o prêmio, sendo a segunda vez em que coloco uma obra para o público, agora na categoria conto”, destaca.

Em 18 anos de prêmio, diversos autores foram descobertos e se consolidaram na literatura nacional, graças ao incentivo da Instituição, entre eles Juliana Leite, Rafael Gallo, Luisa Geisler, André de Leones, Franklin Carvalho, Sheyla Smanioto, Tobias Carvalho e Lucia Bettencourt.

Mesa Brasil visita empresas aliadas no combate à fome

O Mesa Brasil Sesc Rondônia é um programa que há 18 anos vem atuando na redução do desperdício de alimentos, minimizando a fome e promovendo a solidariedade. São quase duas décadas buscando o alimento onde sobra e entregando onde falta. E para que os objetivos das ações sejam alcançados, a iniciativa conta com parcerias comprometidas com o combate à insegurança alimentar e nutricional em Rondônia.

Neste mês de dezembro a equipe do Programa realizou visitas a essas empresas (localizadas em Porto Velho e Ji-Paraná) que praticam a responsabilidade social e contribuem ativamente para o fortalecimento das ações.

SOBRE O MESA BRASIL SESC 

O Sistema Fecomércio Rondônia, através do Serviço Social do Comércio – SESC, possui uma rede nacional de bancos de alimentos contra a fome e o desperdício, mais conhecida como o Mesa Brasil Sesc. Seu objetivo é contribuir para a promoção da cidadania e a melhoria da qualidade de vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social, através de ações educativas e de distribuição de alimentos excedentes ou fora dos padrões de comercialização, mas que ainda podem ser consumidos. Dessa forma, o Mesa Brasil Sesc contribui para a diminuição do desperdício e reduz a condição de insegurança alimentar de crianças, jovens, adultos e idosos. Em ambos os polos desse percurso, as estratégias de mobilização e as ações educativas incentivam a solidariedade e o desenvolvimento comunitário.

Estudante rondoniense compartilha experiência na Escola Sesc de Ensino Médio

Jovem foi beneficiada com bolsa integral de três anos no Rio de Janeiro

A estudante rondoniense de 17 anos, Vitória Paiva Batiste, retornou neste mês de novembro para Porto Velho após ter uma experiência de 3 anos de estudo integral na Escola Sesc de Ensino Médio (ESEM), localizada no Rio de Janeiro. Vitória fez parte do grupo de alunos selecionados para ter acesso ao ensino gratuito e integral da ESEM, onde os jovens recebem bolsas de estudo integrais oferecidas pelo Departamento Nacional do Sesc para os três anos de curso do ensino médio. O benefício cobre todas as despesas relativas à instrução, urgências médico-escolares, material didático-pedagógico de uso coletivo, alimentação e atividades extraclasse propostas pela escola. Os estudantes moram em uma vila de quatro prédios localizada dentro do complexo da escola. Todo andar conta com sala de estudo e copa de apoio, e em cada um deles reside um professor com sua família.

Segundo a estudante portovelhense, a oportunidade de vivenciar essa experiência contribuiu com a ampliação da sua visão em relação ao mundo, principalmente pelo contato que teve com a diversidade cultural brasileira. “Eu conheci gente do Brasil inteiro, com vários sotaques, costumes e isso fez com que eu desejasse ter experiências até fora do Brasil. A ESEM não foca só nas notas, mas ela também se preocupa com a formação do cidadão e da sua relação com o mundo. Inclusive agora que terminei o ensino médio, o meu foco também é aplicar para vagas em universidades fora do Brasil”, comentou Vitória.

A mãe da estudante, Regiane Rodrigues Paiva, disse que apesar da saudade, sentia-se segura em relação aos estudos integrais da sua filha. A estudante, que iniciou seus estudos no campus do Rio de Janeiro quando tinha 14 anos, era acompanhada inicialmente por uma tutora responsável pelo seu bem-estar e que também informava o andamento da sua rotina para a mãe. “Quando me deparei com a escola eu fiquei impactada, primeiramente pela estrutura e depois pela qualidade do ensino. Eles dão muita assistência aos pais, eu poderia saber tudo o que a Vitória passou no dia. Quando ela iniciou os estudos, ela tinha uma tutora que fazia contato comigo constantemente para me dar notícias, era um tripé muito importante de relacionamento entre a escola, os alunos e a família”, explicou Regiane.

Para Vitória, o desejo agora é de partilhar os conhecimentos adquiridos com outras pessoas, pois segundo ela, a vontade de dar um retorno à sociedade da oportunidade que teve só aumentou após esses anos. “Eu fiz um compromisso comigo mesma de que não quero ficar com essa experiência só para mim. Eu quero fazer parte do grupo que divulga essa oportunidade para várias pessoas que estão sedentas pelo acesso à toda grandiosidade da escola. Eu até já estou desenvolvendo um projeto que chamo de ‘Mentoria’, onde eu divido com os moradores do meu condomínio residencial informações sobre a escola e ajudo nessa preparação”, informou a estudante.

Em relação ao lazer, Vitória também informou que o campus oferta diversas opções durante os fins de semana para que os alunos possam interagir e relaxar. Além disso, saídas para pontos turísticos do Rio de Janeiro e também algumas cidades próximas são programadas, no intuito de ofertar também o lazer aos jovens. Para a estudante portovelhense, a oportunidade de vivenciar a ESEM é algo que muda a vida dos alunos e impactou positivamente a sua formação também como cidadã.

A ESEM engloba uma comunidade residencial de alunos e professores, que encoraja e valoriza a convivência com a diversidade, em ambiente de prática contínua de ética, honestidade, responsabilidade, civilidade, justiça e solidariedade. Tal concepção contribui para a formação de cidadãos proativos, íntegros, capazes de exercer papéis de liderança e transformação em suas comunidades e para os quais a vivência na Escola Sesc de Ensino Médio será uma experiência para toda a vida. O objetivo é a transformação dos jovens em diversos aspectos, contribuindo para preparação de excelência para o ingresso no ensino superior estando prontos para construção de novos projetos de vida.

Para saber mais sobre a escola, acesse: http://www.poloeducacionalsesc.com.br/

Sesc Rondônia celebra novos convênios em novembro

Neste mês de novembro o Sesc Rondônia realizou novas assinaturas de convênios, que têm como objetivo garantir serviços de qualidade em preços acessíveis para os trabalhadores.

Assinaram convênio com o Sesc/RO as seguintes entidades: a Associação dos Agentes de Trânsito de Rondônia – Agetran RO, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Rondônia – CBMRO, e a Associação das Praças e Familiares da Polícia e Bombeiros Militar do Estado de Rondônia – ASSFAPOM.

O Diretor Regional do Sesc Rondônia, Osvino Juraszek; e o Diretor da Divisão de Programas Sociais, João Daniel Almeida – ambos representando o Presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac de Rondônia, Raniery Araújo Coelho – receberam os representantes para a oficialização do convênio que vai assegurar aos membros de cada entidade o acesso aos nossos serviços na categoria conveniado. Essa categoria concede descontos nos pagamentos das taxas de matrícula, nos serviços e atividades promovidas pelo Sesc.

Para mais informações sobre os procedimentos de adesão aos nossos serviços por meio de convênios os interessados podem ligar no (69) 3229.6006 – ramal 202.

IV Mostra Sesc de Cinema inicia dia 30 de novembro em Porto Velho

Serão exibidos 36 filmes de todas as regiões do Brasil

Entre os dias 30 de novembro e 04 de dezembro no Audicine do Sesc Esplanada serão exibidos 38 obras que compõem a IV Mostra Sesc de Cinema. A Mostra Sesc de Cinema reúne produções de temas diversificados, que por vezes não conseguem encontrar espaço nos circuitos comerciais de cinema. Em sua quarta edição, o projeto se consolida como um dos principais canais de incentivo e fomento ao cinema independente do Brasil.

Seguindo as orientações de saúde pública vigentes, o evento será realizado de forma presencial no Audicine do Sesc Esplanada de forma gratuita.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DA IV MOSTRA SESC DE CINEMA

PANORAMA SUL E SUDESTE

HorárioFilmeSinopseDireçãoUFDuraçãoClassif.
16h25 Anos Sem AsfaltoRose se empenha para garantir a Pedro um futuro melhor do que uma vida confinada entre as ruas de terra do bairro e o asfalto da cidade, quando um acontecimento inesperado a fará se conectar ao cotidiano de pequenas aventuras do filho.Fabi AndradeSP 15 L
16h16InabitáveisUma companhia contemporânea de dança está prestes a estrear Inabitáveis, seu mais novo espetáculo que aborda como tema a homoafetividade negra. Paralelamente aos ensaios, o coreógrafo constrói uma amizade com Pedro, um jovem menino negro que não se identifica como menino.Anderson Bardot ES 25 14
16h45Ser Feliz No VãoUm ensaio preto sobre trens, praias e ocupação de espaço.Lucas H. Rossi dos SantosRJ1314
17hAs rendas de DinhoDinho queria fazer rendas, mas na pequena vila de pescadores seu futuro só podia estar no mar e na pesca. Então ele decidiu mudar o futuro.Adriane CananSC2514
17h30De Olhos AbertosEm Porto Alegre (RS), pessoas em situação de rua produzem e vendem seu próprio jornal, o Boca de Rua, único no mundo. Além de uma fonte de renda, ele é uma voz para ser ouvida, uma ferramenta de denúncia e de organização perante a sociedade. Hoje, o Boca comemora dezoito anos. O grupo cresceu, a cidade mudou e as dificuldades continuam. Para esses jornalistas, conseguir o que comer, achar onde dormir e sobreviver à violência urbana seguem como preocupações cotidianas que eles enfrentam juntos e de olhos abertos.Charlotte DafolRS11214
19h15Seremos OuvidasComo existir em uma estrutura sexista e ouvinte? Gabriela, Celma e Klicia, três mulheres surdas com realidades diferentes, compartilham suas lutas e trajetórias no movimento feminista surdo.Larissa NepomucenoPR13L
19h30KevinÉ a primeira vez que Joana, uma brasileira, visita sua amiga Kevin na Uganda. Elas se tornaram amigas há vinte anos quando estudaram juntas na Alemanha e faz muito tempo que não se veem. A partir desse encontro, o filme tece a fina trama que é uma conversa entre duas amigas: as histórias do passado, os desejos, os caminhos trilhados, os diferentes modos de encarar a matéria do vivido e um elo de amor e sororidade que resiste à distância e ao tempo Joana Oliveira BH 8010

PANORAMA CENTRO OESTE

HorárioFilmeSinopseDireçãoUFDuraçãoClassif.
18hArapucasGaia é uma documentarista ornitóloga que se perde em uma estrada isolada no meio de uma floresta cercada de mistérios sombrios em meados dos anos 1980.Danilo Kamenach GO 2012
18h25O Menino e o OvoEm Cuiabá, uma das capitais mais quentes do Brasil, Joana escuta na escola que é possível fritar um ovo no asfalto de tão quente que é o chão. Proibida pela mãe de testar com os ovos de casa, a menina fará de tudo para descobrir a verdade, mas, nessa busca, dilemas surgem e desafiam Joana a tomar uma decisão.Juliana CapiléMT12L
18h40No Rastro Das CargueirasDona Caçula atravessa a cidade equilibrando metais e plásticos em cima de sua bicicleta cargueira. O filme apresenta as técnicas, as paisagens e as histórias do grupo de catadores-ciclistas no contrafluxo do consumo urbano em Brasília.Carol MatiasDF7012
20h00Ava Kuña, Aty Kuña; mulher indígena, mulher políticaAva Kuña, Aty Kuña; mulher indígena, mulher política é uma abordagem poética da resiliência política das mulheres indígenas brasileiras. Retrato da Kuñangue Aty Guasu, a Grande Assembléia de Mulheres Guarani Kaiowá, o curta-documental mescla as impressões, sentimentos e explicações de uma mulher branca e de uma mulher originária acerca desse encontro.Julia Zulian, Fabiane MedinaMS25L

PANORAMA INFANTO-JUVENIL

HorárioFilmeSinopseDireçãoUFDuraçãoClassif.
18h00Vida Dentro De Um MelãoUma garota filma o seu redor. Fantasiada de bicho, o desconhecido te assopra quando o coração quer voar.Helena Souza Neves Frade da CruzMG1812
18h205 FitasEm Salvador, todo ano acontece a tradicional festa para o Senhor do Bonfim, em que fiéis, turistas e foliões peregrinam até a famosa igreja para amarrar fitas e fazer pedidos. Os irmãos Pedro e Gabriel ouvem desde cedo as histórias da avó e decidem se aventurar sozinhos para fazerem um pedido especial. Lá eles aprendem sobre religiosidade, sincretismo e a importância da família.Vilma Carla Martins SilvaBA16L
18h40Vento ViajanteUm dia o Vento decidiu viajar para o Nordeste. Pelo caminho, fez muitas descobertas, amigos e deixou saudades.Beatriz LindenbergES0610
18h50Aurora – A Rua Que Queria Ser Um RioSe as ruas pudessem falar, o que diriam? Aurora é uma triste e solitária rua de uma grande cidade. Em um dia de chuva forte, ela relembra sua trajetória e sonha com o futuro e se pergunta: é possível uma rua morrer?Radhi MeronSP10L
19h00SolitudeNa Amazônia, o Sol encara a solidão e a carência depois do término de uma relação abusiva, enquanto no Deserto do Atacama, uma Sombra busca independência, porém começa a desaparecer lentamente.Tami MartinsAP14L
19h15BaileHá dias que nos amadurecem mais. Andréa tem só 10 anos e talvez ainda não perceba que seu dia foi assim.Cíntia Domit BittarSC1812
19h40Miúda e o Guarda ChuvaUma menina e o Guarda-Chuva.Amadeu AlbanSP70L

PANORAMA NORDESTE

HorárioFilmeSinopseDireçãoUFDuraçãoClassif.
16h00CURICA!Uma leitura audiovisual das memórias de cinco mulheres, de várias gerações, vítimas de trabalho doméstico infantil/trabalho análogo à escravidão.Thiago José de Carvalho FurtadoPI2012
16h25MarcoIsadora decide retornar à sua cidade natal após saber da grave doença de seu pai. Ao chegar lá, ela revive sua tensa relação com a mãe em meio as reminiscências familiares mais dolorosas.Sara Mabel Alcelmo BenvenutoCE2012
16h40PattakiOs peixes agonizam à beira-mar à medida que a água invade a cidade e forma espelhos que distorcem sua imagem. Na noite densa, quando a Lua sobe a maré, esses seres, que vivem uma vida diária monótona sem água, são hipnotizados pelos poderes de Iemanjá, a deusa do mar.Everlane MoraesSE2112
17hQuanto Pesa“Eu vim lançar fogo sobre a terra e como eu queria que ele já tivesse sido ateado.” (Lucas 12:49)Breno NinaMA2016
17h25O Bem viráTreze mulheres, treze ventres, treze esperanças, uma foto. E uma busca pelas mulheres que, em 1983, em uma seca no sertão do Pajeú pernambucano, lutaram pelo direito à sobrevivência, num contexto em que ser mulher era se limitar à função de administrar a miséria.Uilma QueirozPE79L
19hA Tradicional Familia Brasileira KatuEm 2007 é produzido um ensaio fotográfico em reconhecimento aos povos originários Potiguaras, em que são retratados doze adolescentes pertencentes ao Eleutério do Katu, Rio Grande do Norte. Doze anos depois, o fotógrafo volta ao Katu em busca desses protagonistas, hoje já adultos, para saber sobre suas trajetórias pessoais e suas visões de mundo.Rodrigo Cesar Cortez de SenaRN25L
19h30Memórias Afro-AtlânticasMemórias Afro-Atlânticas segue os passos do linguista afro-americano Lorenzo Turner (1890-1972) em suas pesquisas conduzidas pela Bahia no início da década de 1940. Durante meses de trabalhos em terreiros de candomblé de Salvador e do Recôncavo Baiano, Turner produziu preciosos registros em áudio e fotografias, em que retratou a experiência linguística e musical de personalidades religiosas como Mãe Menininha do Gantois, Joãozinho da Goméia e Manoel Falefá. Ao apresentar imagens e sons raros, o documentário revisita os terreiros de candomblé registrados por Turner quase oitenta anos depois em busca de memórias e remanescentes ainda vivos.Cassio Nobre e Xavier VatinBA76L

PANORAMA NORTE

HorárioFilmeSinopseDireçãoUFDuraçãoClassif.
16h00UTOPIAUtopia é sobre a busca de uma filha por histórias vividas pelo pai garimpeiro que faleceu no garimpo. Arquivos sobre esse pai, fotos, vídeos e cartas que ele escrevia para a família, momentos em que relatava a vivência e as dificuldades do trabalho. Nesse cenário, o documentário procura humanizar homens que dedicam suas vidas à terra. Mais do que um registro, o filme vem mostrar um relato íntimo e poético sobre a vida desses garimpeiros.Rayane PenhaAP1514
16h20A inacreditável história do milho giganteUma pequena formiga encontra no meio do mato um milho gigante, que ela não consegue carregar sozinha. De passagem por ali, o Tamanduá se oferece para cuidar do alimento, enquanto ela busca ajuda dos familiares. E agora: a formiga confiará no seu maior predador? Inspirado em poema homônimo, “A inacreditável história do milho gigante” é uma fábula contemporânea em forma de um divertido filme de animação, com um final surpreendente.Adenor PimentelRR05L
16h25E o que sobrou para as distopiasAssistir pela TV o estado em que o planeta e, principalmente, o Brasil se encontram, um país com um governo abobalhado, medíocre, infantil e autoritário no meio de uma pandemia é, no mínimo, absurdo. Estamos a própria sorte, cada um por si e todos em casa. De mãos lavadas. É dolorosa a ironia do isolamento social quando a gente já virou imagem há muito tempo. Não cabem mais metáforas sobre a solidão e o individualismo quando agora é obrigatório viver só. O presente é mais absurdo que qualquer ficção futurista, com tudo isso me pergunto: E o que sobrou para as distopias?Tarcísio Gabriel C. SantosPA0314
16h30Meus Santos Saúdam Teus SantosEm viagem de regresso à ilha do Marajó, terra de seus avós, Rodrigo conhece pajé Roxita e recebe a notícia de que têm guias espirituais de herança. Rodrigo, vive sua iniciação na pajelança marajoara e registra sua relação com Roxita, que será sua guia num encontro com seus ancestrais.Rodrigo Antonio SilvaPA1412
16h45Benzedeira – Maria do BairroPrimeiro episódio irá imergir no universo da benzedeira Maria do Bairro que escolheu o silêncio para dividir a sabedoria que lhe foi confiada. Esta ciência da natureza se esconde ao longe em uma ilha na comunidade do Tamatateua, interior do município de Bragança. Manoel Amorim, conhecido como Maria do Bairro, o preto conhecedor de ervas e benzedor, se dedica à cura do corpo e da alma de quem a procura. O saber que a habita não vem do achismo, mas sim da vivência e resistência direta com a natureza, seus espíritos e filosofia.Sandreson Marcelo P. SilvaPA1512
17h00AçaíO curta “Açaí” conta a saga de Dionlenon, um homem de 30 anos que está acostumado com a vida que leva ao lado da mãe, com quem mora numa periferia de Macapá. Ele sai em busca de dois litros de açaí para almoçar, mas não conta com uma viagem tão distante assim. A predileção pelo açaí, é o prato principal da mesa do amapaense, retratada de maneira cômica aqui nesta obra, destacando a enorme importância que o produto tem dentro da cultura local.Andre CantuáriaAP1912
17h20CAMILLA BRUNOMasculino e Feminino. Dois universos que podem coexistir em uma só pessoa. Camylla Bruno nos leva para dentro desta fusão de mundos ao acompanhar a história do ator transformista amazonense que divide sua vida entre o restaurante que administra e os palcos onde dá vida à Camylla, seu alter ego. Sua relação com a família, sonhos e decepções com os concursos de beleza e questões existenciais da realidade LGBTQIA+ permeiam todo o filme em um documentário poético que traz destaque para uma entre tantas histórias inspiradoras deste universo.Henrique Saunier MichilesAM24L
17h45Maikan: A Terra da RaposaMaikan’, na língua indígena Macuxi, significa raposa. No documentário, são tratadas a memória e a cultura do povo Macuxi da comunidade Raposa, na Terra Indígena Raposa Serra do Sol, estado de Roraima, com seu modo de vida e processo milenar de ocupação nômade das serras e campos do entorno do Monte Roraima, berço de Makunaima. A comunidade da Raposa está situada atualmente nos campos, fundada a partir da narrativa mítica da fuga da Raposa nas serras, que foi perseguida pelos seus donos Anikê e Insikiran, filhos de Makunaima, o que define a morfologia e as narrativas dos lugares de afeto. Uma cultura forte, que resiste e dialoga com a sociedade do entorno.Éder Rodrigues dos Santos e Enoque RaposoRR13L
18h00APRESENTAÇÃO ARTÍSTICA
18h30ElipseElipses segundo o dicionário, aquilo que está subtendido, o que não é dito.Diego AugustoRO3712
19h10 Espinheira Santa Espinheira Santa é uma experimentação artística em processo, nascido de vários questionamentos entre duas mulheres pertencentes à mesma raiz. A história que se perpetua de um coração ao outro, o silêncio herdado que oprime uma natureza cativa. É preciso libertar o corpo, depurar o sangue enfermo e alcançar o caminho da cura e da redenção de si mesma. Kaline Leigue RO 10 L
19h20Nazaré: do Verde ao BarroUma família embarca numa viagem em busca de uma nova vida. É na comunidade de Nazaré que constroem uma relação de afeto, respeito e amor com a Amazônia. Em diferentes fases, a jornada de uma família muda conforme as águas de um rio.Juraci JúniorRO08L
19h30DEBATE DE ENCERRAMENTO

Serviço: IV Mostra Sesc de Cinema
Data: 30 de novembro a 04 de dezembro
Local: Audicine do Sesc Esplanada, localizado na Avenida Presidente Dutra, 4175, Olaria, Porto Velho – RO.
Valor: Gratuito
 
Acompanhe as ações do Sesc Rondônia nas redes
No Instagram: @sesc_ro
No Facebook: @sescrondonia  

I Mostra dos Escritores de Rondônia acontece no último sábado de novembro

Evento reunirá alguns expoentes literários do Estado em conversa virtual

Neste sábado, dia 27 de novembro, às 19h, por meio do canal do Youtube do Sesc Rondônia, acontecerá a I Mostra dos Escritores de Rondônia, evento que discutirá as trajetórias e produções literárias de alguns escritores convidados pela Coordenação de Cultura do Sesc. Farão parte das discussões as obras literárias: Um trabalho, Uma história, incompreensões, realizações, de Thais Lucksis; Entre Portos: Narrativas às margens, de Amanara Brandão e Christian Nienov; Vermelho/Ruína, de Erlândia Ribeiro; O curumim do Rio Machado e suas histórias maravilhosas,de Márcia Mura; e DO MAR DO CARIBE À BEIRA DO RIO MADEIRA: Historiografia, Cultura e Imigração, de Cledenice Blackman.

A conversa, que será mediada pela poetisa e rapper Negra Mari (RO), tem como objetivo oportunizar o público o contato com experiências narrativas e relatos de autores regionais, valorizando o expoente literário.

SOBRE OS AUTORES PARTICIPANTES

Thaiz Lucksis nasceu em 1980 na cidade de Guajará-Mirim (RO), fronteira com a Bolívia. Filha de pais guajaramirenses e neta de amazônidas, imigrantes cearenses e lituanos. Arquiteta e urbanista formada pela UFMT, em 2002. Concluiu a formação em Iniciação Teatral pelo Centro Cultural Português do Mindelo – Instituto Camões, em Cabo Verde – 2005. Produziu e atuou em peças na cidade de Guajará-Mirim entre 2007 até 2014. É uma das idealizadoras e realizadoras do FESTINAÇU – Festival Internacional de Teatro de Guajará-Mirim desde 2011 como diretora de produção.

Amanara Brandão Lube (RO) é artista afroamazônida, artesã do corpo e das palavras. Atua na cena teatral nacional desde 2014 com o grupo O Imaginário e desenvolve trabalhos independentes como escritora, produtora cultural, performer e artista-pesquisadora na linguagem de Performance Art. É formanda do Curso de Teatro na Universidade Federal de Rondônia.

Christian Otto Muniz Nienov nasceu em Porto Alegre/RS. É descendente de imigrantes colonos alemães. Formado em História, com Mestrado e Doutorado em Filosofia (PUCRS). Participou da Oficina de Criação Literária do escritor Assis Brasil e da Oficina Dramaturgia da Escrita do escritor Euler Lopes. É professor de Filosofia na UNIR (Universidade Federal de Rondônia) desde outubro de 2015, onde ministra aulas em diversos cursos. Pesquisa as relações entre História, Literatura e Filosofia. É especialista em Filosofia Francesa do século XX (Deleuze, Foucault, Derrida).

Erlândia Ribeiro é escritora, tendo publicado o livro de contos Superfícies irregulares pela Editora Kotter em 2019 e agora lança seu livro de poemas, vermelho/ruína (2021), pela Editora Urutau. É graduada em Letras Espanhol e Mestra no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários – PPG-MEL pela Universidade Federal de Rondônia e, atualmente é doutoranda em Estudos Literários no Programa de Pós-Graduação do PPGL-UFES, pela Universidade Federal do Espírito Santo. Trabalha com os diários da escritora argentina Alejandra Pizarnik (1936-1972), seu objeto de vida e de pesquisa. E é uma das fundadoras do Clube das Escritoras de Rondônia (2019-presente).

Márcia Mura do paranã Madeira, território ancestral Mura, é contadora de história, indígena escritora, doutora em história social pela USP, artivista (faz ativismo por meio da arte). Como educadora pratica a pedagogia da afirmação indígena no local onde vive, nos caminhos das águas amazônicas por onde percorre em todo lugar que se coloca aberto para essa pedagogia. Foi professora na rede de educação de Estado de Rondônia de 1997 a agosto de 2021, nos últimos cinco anos atuou na escola Estadual Francisco Desmorest Passos situada no Distrito de Nazaré/Baixo Madeira/Rondônia, dando aula de História, onde praticou intensamente a pedagogia da firmação indígena e para além da escola realizou rodas de literatura indígena com crianças e de vivências com mulheres sobre memórias ancestrais por meio das experimentações com a argila. Coordenadora do coletivo Mura, de Porto Velho, e faz parte do Instituto Madeira Vivo, que atua em defesa dos direitos dos Povos Indígenas e populações tradicionais do Rio Madeira. Possui graduação em História pela Universidade Federal de Rondônia: licenciatura plena e bacharelado. Mestra em sociedade e Cultura na Amazônia, pela Universidade Federal do Amazonas. Doutora com teste intitulada “Tecendo Tradicionais Indígenas”, defendida em maio de 2016 na USP.

Cledenice Blackman É natural de Porto Velho/RO, descendente da quarta geração de Barbadianos(as), Doutora em Educação pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus Marília (2018/2020). Mestra em História e Estudos Culturais pela Universidade Federal de Rondônia – UNIR (2013/2015). Mestra em História, Direitos Humanos, Fronteiras e Culturas no Brasil e América Latina pela Universidad Pablo de Olavide/Sevilla (2008/2010). Pós-Graduada em Gestão, Supervisão e Orientação Escolar pela Faculdade de Ciências Administrativas e Tecnologia de Rondônia – FATEC-RO (2007/2008). Bacharela e Licenciada em História pela Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR (2003/2006). Bacharela em Biblioteconomia pela Fundação Universidade Federal de Rondônia – UNIR (2009/2013). Atuando principalmente nos seguintes temas: História de Rondônia, Historiografia sobre os(as) Afro-Antilhanos(as), A anterioridade da mulher afro-antilhana na educação, Imigração dos(as) Barbadianos(as) ou Antilhanos(as) para Amazônia Brasileira, especificamente, para Porto Velho.

Serviço: I Mostra dos Escritores de Rondônia

Quando? 27  de novembro de 2021, às 19h (horário RO)

Onde? Youtube do Sesc Rondônia – https://www.youtube.com/c/SescRond%C3%B4nia

Realização: Sistema Fecomércio/Sesc/Senac de Rondônia

Acompanhe as ações do Sesc Rondônia nas redes

No Instagram: https://www.instagram.com/sesc_ro/

No Facebook: https://www.facebook.com/sescrondonia

Alunos do Sesc Escola são premiados em concurso cultural sobre cooperativismo

Os estudantes receberam kits escolares por premiação em etapa local

O Sesc Escola – Centro Educacional Professor Lourival Chagas da Silva, localizada em Porto Velho, participou do concurso cultural promovido pelo Instituto Sicoob, cujo tema foi “Cooperativismo, uma forma de viver”. Com o objetivo de difundir o conceito de cooperação para as crianças, o Instituto convidou turmas do Ensino Fundamental I para realizarem desenhos e redações sobre o tema. Ao todo, 6 alunos tiveram suas produções premiadas e foram contemplados com kits escolares pelas produções que representaram o entendimento de cada estudante sobre o conceito do cooperativismo. A iniciativa, segundo a equipe pedagógica do Sesc Escola, faz com o que os alunos tenham cada vez mais consciência do seu papel cidadão na sociedade.

A escola das escolas participantes aconteceu por meio de convite de cooperativas do Sicoob e o Sesc Escola foi a instituição de ensino escolhida pela Credjurd.

Acompanhe o Sesc Rondônia nas redes

No instagram: https://www.instagram.com/sesc_ro/

No facebook: https://www.facebook.com/sescrondonia

Mostra Sesc Rondônia de Música divulga programação para o mês de dezembro

XIV edição do evento terá 13 apresentações musicais e atividades de formação

Reforçando o compromisso com o fomento da cadeia musical local – e com o acesso à cultura por parte dos trabalhadores do comércio, seus dependentes e comunidade em geral -, a XIV edição da Mostra Sesc Rondônia de Música, projeto desenvolvido por meio da Coordenação de Cultura da instituição, realizará de 01 a 04 de dezembro uma programação diversificada de maneira presencial e gratuita. Serão 13 apresentações musicais, 4 oficinas e 4 rodas de conversa que fortalecem os principais objetivos da organização: a formação de público para o cenário musical rondoniense e o investimento na qualificação profissional dos interessados nessa área artística.

Seguindo as orientações de saúde pública vigentes, o evento será realizado de forma presencial no Sesc Esplanada e serão adotados os seguintes procedimentos:

  1. Os ingressos serão limitados;
  2. O acesso ao local das apresentações, rodas de conversas e ações formativas será permitido apenas para as pessoas que apresentarem carteira de vacinação comprovando ter recebido ao menos a primeira dose de quaisquer dos imunizantes contra o novo Coronavírus (SARS-CoV-2).

O acesso aos ingressos são limitados e podem ser retirados por meio do link: https://cutt.ly/vTQbicb

As pessoas interessadas em participar das oficinas podem se inscrever a partir do dia 24 de novembro até atingir o quantitativo de vagas disponibilizadas. Para participar dos bate-papos, é necessário apenas que os interessados apresentarem os mesmos ingressos das apresentações, pois as entradas também darão acesso às rodas de conversas que começarão nos dias indicados, das 19h30 às 20h, no Teatro I do Sesc Esplanada. Para participar das oficinas, o público poderá se inscrever por meio dos links indicados abaixo na programação.

ATIVIDADES DE FORMAÇÃO

14h às 18h – Oficina: Composição de música popular instrumental urbana: a representação do cotidiano por meio de composições

Sinopse: A representação da vivência diária por meio das linguagens artísticas é uma das premissas da arte. A composição de músicas populares instrumentais que descreva, mesmo que subjetivamente, os episódios cotidianos, é uma das formas de descrever vivências, culturas, memórias, etc. Para tanto, é necessário usar ferramentas que auxiliem o processo composicional, criativo e registro. O facilitador da oficina, Mauro Araújo, irá compartilhar com os participantes o processo de composição que desenvolveu durante a sua graduação em música: uma composição para cada semana, no intuito de registrar os momentos mais importantes daqueles dias. Em seguida, Mauro irá propor aos alunes que apliquem esse mesmo processo em suas próprias composições.

Facilitador: Mauro Araújo

Formato: Presencial

Link de inscrição: https://cutt.ly/rRApjhF

Local: Sesc Esplanada

19h30 às 20hBate papo: Movimentos da Música Beradeira: Grito de Cantadores

Convidados: Bado e Julio Yriarte 

Mediação: Adson Nascimento 

Formato: Presencial

Local: Sesc Esplanada

Link do ingresso: https://cutt.ly/vTQbicb

SHOWS

20h às 21h30

  • Bado
  • Banda Wari
  • Banda Os Últimos

Local: Sesc Esplanada

Link do ingresso: https://cutt.ly/vTQbicb

ATIVIDADES DE FORMAÇÃO

14h às 18h – Oficina: Dramaturgia Sonora – Sonoplastia de espetáculos

Sinopse: Tão importante quanto a iluminação, a cenografia ou o figurino de um espetáculo, está a trilha sonora como um elemento tão orgânico da trama que, muitas vezes, pode passar até despercebida pelo público. Contudo, os temas de um espetáculo ajudam a contar a história do texto por meio de uma linguagem diferente. É sua função traduzir, em música, parte do que foi imaginado pelo autor, o que faz do ofício de um trilheiro algo bem complexo. É preciso muita pesquisa, trabalho em grupo e paciência para ouvir e refazer quando necessário. Por estes fatores, a composição de trilhas para teatro segue processos muito particulares de criação.

Facilitadores: Rinaldo Santos, Anderson Silva e Anderson Benvindo

Formato: Presencial

Link de inscrição: https://cutt.ly/SRApxwj

Local: Sesc Esplanada

19h30 às 20h Bate papo: O Som da quebrada! Um panorama do movimento Bera: A trajetória da busca da identidade musical Afro-ameríndia

Convidados: Profº. Mestre, Eduardo Santana Junior; Aquilas Bera – Boca e Aldimar Reis – Dinho

Mediação: Adson Nascimento 

Formato: Presencial

Local: Teatro I do Sesc Esplanada

Link do ingresso: https://cutt.ly/vTQbicb

SHOWS

20h às 21h30

  • Negra Mari + DJ AZR
  • Sandra Braids + DJ Vilber
  • Banda Malcriados

Local: Teatro I do Sesc Esplanada

Link do ingresso: https://cutt.ly/vTQbicb

ATIVIDADES DE FORMAÇÃO

14h às 18h: Oficina – Voz e corpo para cantores

Sinopse: A oficina tem como objetivo direcionar cantores na sua performance no palco usando fundamentos das artes dramáticas para o desenvolvimento da consciência corporal, além de pleno conhecimento e domínio de seu “repertório de movimento gestual”. Assim, o cantor poderá construir um personagem para as obras a serem executadas, até mesmo para repertório de música de câmara, por meio da abordagem dos seguintes pontos: Processo criativo na construção da performance; exploração dos espaços cênico; expressão corporal; identidade musical e visual; objetos de cena no contexto; roteiro; pré-show; e hora de cantar.

Facilitadora: Sabrynne Sena

Formato: Presencial

Link de inscrição: https://cutt.ly/aRApQAk

Local: Sesc Esplanada

19h30 às 20h: Bate-papo – O Som da quebrada! Um panorama do movimento Hip-Hop Portovelhense: A trajetória da busca da identidade do Rap beradeiro.

Convidados: F´Dois, Edjales – Fama, Sandra Braids e Negra Mari

Mediação: Betânia Avelar 

Formato: Presencial

Local: Teatro I do Sesc Esplanada

Link do ingresso: https://cutt.ly/vTQbicb

SHOWS

20h às 21h30

  • Grupo vocal Cantadô 
  • F´Dois + DJ Marcelo Project
  • Marfiza França 

Local: Teatro I do Sesc Esplanada

Link do ingresso: https://cutt.ly/vTQbicb

ATIVIDADES DE FORMAÇÃO

14h às 18h – Oficina: Sarau com responsabilidade 

Sinopse: A oficina visa ofertar informações determinantes para a cadeia produtiva do mercado da música e das artes em geral. A proposta é mais do que apenas ensinar caminhos dentro da hierarquia do Sistema de documentação e formalização de projetos fonográficos e audiovisuais, é também construir pontes mentais que levem entendimento do valor de cada ação com a qual nos envolvemos e mostrar que como cocriadores da nossa realidade, somos por excelência, criadores de obras que carregam consigo nossas crenças e valores. O impacto que ela tem na vida da sua comunidade.

Facilitadora: Marfiza França

Formato: Presencial

Link de inscrição: https://cutt.ly/MRApRR6

Local: Sesc Esplanada

19h30 às 20h – Bate-papo: Festas e tradições populares: A Romaria do Senhor Divino Espírito Santo do Vale do Guaporé

Convidados: Profº Mestre, Hagner Malon e Marcela Bomfim 

Mediação: Anderson Benvindo 

Formato: Presencial

Local: Teatro I do Sesc Esplanada

Link do ingresso: https://cutt.ly/vTQbicb

SHOWS

20h às 21h30

  • Marcela Bonfim e Kali – Líricas Femininas. Participação: Ane Caline e Andréa Triverio
  • Banda Nó da massa
  • Banda Benvindo ao Pacífico 

Local: Teatro I do Sesc Esplanada

Link do ingresso: https://cutt.ly/vTQbicb

Concerto Sesc Partituras é realizado presencialmente em novembro

Evento terá a apresentação de três grupos rondonienses

No próximo dia 25 de novembro, às 20h (horário de Rondônia), no Teatro I do Sesc Esplanada, será realizado o Concerto Sesc Partituras: projeto de música que possibilita ao público a ampliação da vivência musical, por meio dos concertos e através da sua programação sistemática, desenvolvida em todo o Brasil. Três grupos rondonienses farão apresentação presencial nesta edição: Senza Tempo, Pi4no Qu4tre e Teclas & Cordas interpretando obras de compositores brasileiros como Alceu Camargo, Hercules Gomes e outros artistas que têm a sua obra hospedada no site Sesc Partituras.

O grupo Senza Tempo, formado pela pianista Andréa Figueiredo e pelo violinista Eduardo Barros, apresentará músicas de compositores brasileiros do século XX e XXI.  O grupo Pi4no Qu4tre – formado pelos pianistas Desirée Duwe, Andréa Figueiredo, Ana Caroline e Gustavo Pereira – irá interpretar músicas do compositor Hercules Gomes, considerado um dos mais representativos pianistas brasileiros da atualidade, não somente por suas habilidades técnicas, mas também pela escolha do expressivo repertório. O objetivo da apresentação é tornar conhecidas ao público rondoniense as composições desse artista, disponíveis no site do Sesc Partituras, que demonstram sua forte influência dos ritmos brasileiros, jazz e música erudita; além de também apresentar o seu trabalho como arranjador de músicas de compositores brasileiros. 

O grupo Teclas & Cordas – formado pela pianista Desirée Duwe de Castro, pelo violista Uílias Rocha; pelo violoncelista e clarinetista Marcos Aizde Campos; pelo flautista Mauricio Rodrigues; e pelo violinista Celso Alexandre Schumacher – trará um repertório baseado na obra de Alceu Camargo, disponível no site do Sesc Partituras.

Os ingressos para o concerto são limitados e podem ser obtidos por meio deste link: https://cutt.ly/rR8xqoi. Para quem quiser conferir a programação de maneira remota, as apresentações também serão transmitidas no youtube e facebook do Sesc Rondônia.

A PROGRAMAÇÃO É OFERECIDA GRATUITAMENTE AO PÚBLICO.

SOBRE OS MÚSICOS INTEGRANTES DOS GRUPOS

  • Andrea Figueiredo pianista há 31 anos, venceu diversos concursos pianísticos pelo país, com destaque para o “Latino – Americano Rosa Mística”, seu primeiro concurso de piano. Ela também foi campeã no concurso Jovens Solistas do Brasil, realizado em São Paulo, no quesito Música de Câmara. Bacharelou-se em Piano pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e especializou-se em Educação Musical pelo Instituto Federal do Amazonas. É educadora musical há 18 anos e docente em piano desde 2011 no Centro Municipal de Arte e Cultura Escolar Jorge Andrade. A musicista possui seu próprio empreendimento desde 2017, denominado Ateliê Piano & Música. Ela integra também a Academia Rondoniense de Letras.
  • Eduardo Barros é violinista e educador musical natural de Porto Velho/RO. Desenvolve projetos musicais como artista de rua apresentando-se em eventos particulares e filantrópicos. Atua também como instrutor de violino em escolas da rede municipal de educação, e atualmente vem trabalhando uma série de vídeos que revelam através da música a sua identidade e amor pela cidade. Iniciou seus estudos no violino aos 15 anos, aos 18 anos começou tocar profissionalmente, e em 2012 criou o Grupo Só Cordas – um quinteto de cordas que se apresentou em diversos eventos. Atualmente é instrutor de violino, cargo que exerce no CEMACE Francisco Laio.
  • Andrea Figueiredo: resumo acima.
  • Desirée Duwe  iniciou seus estudos de piano em Porto Velho com apenas cinco anos de idade, orientada pela professora Tereza Cristina Neivock. Aos 10 anos continuou seus estudos com a professora Silvia Freire de Carvalho, na Escola de Música Sol Maior. Aos 15 anos concluiu o Curso Técnico de Piano. É pós-graduada em educação musical, tendo participado de diversos concursos de música no País, obtendo premiações – dentre elas o de melhor intérprete de Música Amazonense, no “1° Concurso de Piano do Núcleo Artístico do Amazonas – NUAM”, em Manaus. Também obteve o “Prêmio Estímulo” da Cidade de Porto Velho, no “Concurso de Piano Carlos Gomes”.
  • Ane Caroline iniciou seus estudos de piano aos 7 anos e aos 15 já lecionava para crianças e adultos. Aos 17 anos se formou no Curso Técnico de piano avançado da Escola de Música Sol Maior. Exerce a docência há mais de 15 anos e possui licenciatura em música. No ano 2019 foi aprovada em 1º lugar no concurso da Prefeitura de Porto Velho para Instrutor de piano e também é docente em seu estúdio particular e na Escola de Música Sol Maior. Além disso, é idealizadora do projeto “Choro em pauta para piano e flauta”, e integrante do grupo “Toadas do Boi Bumba” com piano e violino. 
  • Gustavo Pereira é licenciado em piano pelo Conservatório Maestro Julião/SP e licenciado em Música pela Universidade Estadual Paulista – UNESP/SP. Realizou o Curso Pedagógico da Música na Escola Gênios dos Teclados, em Londrina-PR. Participou do Curso de Música Barroca como executante na cidade de Lençóis Paulistas-SP. É professor de piano e musicalização da Escola de Música Sol Maior, em Porto Velho-RO.
  • Desirée Duwe: resumo acima.
  • Marcos Aizde iniciou seus estudos de música ao final do 3º ano na Escola Simon Bolívar, em 2006, em um projeto criado pelo Professor Eliezer Gomes de Moura. No projeto teve contato com seu primeiro instrumento, a Flauta Transversal, mas seu interesse maior acabou sendo pelo Clarinete, ao qual se dedicou aos estudos por cerca de 8 anos. Posteriormente passou a ter interesse em aprender um outro instrumento,  o Violoncelo, ao qual dedica seus estudos até os dias atuais. Teve aulas com Edvanny Silva Burns (violoncelista) e Anton Minenkov (violoncelista russo). Além de flautista, clarinetista e violoncelista, também toca sax soprano, alto e tenor, e contrabaixo acústico. Participou de alguns projetos e grupos ensinando e tocando: Projeto sons de esperança – ADRA (Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais), comoinstrutor de instrumentos de sopro e de cordas; Projeto de música na Escola Daniel Neri, como instrutor de instrumentos de sopro e de cordas; Grupo Só Cordas, como violoncelista Orquestra do IFRO, como condutor de grupo; Integrante atual da Orquestra Villa Lobos, atuando como músico violoncelista;  Integrante da Banda MAPO – Madeira Popular Orquestra (da PM), como saxofonista, também atua como violoncelista do grupo Teclas & Cordas.  
  • Uilias Rocha iniciou seus estudos de música aos 14 anos de idade, na igreja Assembleia de Deus de Porto Velho, onde aprendeu solfejo, violino e clarinete para integrar a banda de música desta mesma denominação. Aos 18 anos começou a estudar regularmente seu instrumento principal, o violino, na escola de música Villa-Lobos de Porto Velho, e posteriormente também iniciou os estudos do piano. Na escola Villa Lobos passou a trabalhar como instrutor de cordas e de piano, para alunos de nível iniciante. Além dessas duas atividades – aprendizagem e ensino da música por meio do violino e piano – participou de inúmeros eventos sociais como casamentos, shows e cantatas natalinas, atuando principalmente como violinista. Atualmente, aos 28 anos de idade, trabalhou como instrutor de artes (especialmente com cordas e musicalização em projetos sociais de sua igreja). Na graduação cursou alguns períodos no curso de Música (Licenciatura pela Unir); e logo depois, Letras – Língua Portuguesa e respectivas literaturas (pela UNOPAR). Hoje dedica-se ao seu trabalho como professor de Música no ensino fundamental I e II, pelo Instituto Evangélico de Educação Paul Aenis.  
  • Celso Schumacher é natural de Porto Velho. Iniciou seus estudos de violino informalmente no Rio de Janeiro e mais tarde passou a estudar na Igreja Assembleia de Deus de Jacarepaguá, ano Rio de Janeiro. Voltou para Porto Velho em 2017, onde deu continuidade os seus estudos musicais. É violinista integrante do grupo Teclas &Cordas, Nico e Rose, Madeira PVH e Vivara Soluções Musicais. Participou de duas edições do SESC Partituras, em 2018 e 2019. Atualmente leciona violino na Escola de Música Sol Maior e cursa licenciatura em Música na Universidade Federal de Rondônia – UNIR.
  • Mauricio Rodrigues é Flautista e Educador Musical. Iniciou seus estudos musicais aos 12 anos de idade na Escola Municipal de Música Jorge Andrade em Porto Velho. Em 2010 se tornou cabo músico do Exército, onde começou a estudar flauta transversal. Em 2014 se tornou sargento músico temporário, e atuou como flautista e piccolista até 2017, quando terminou seu período de serviço militar. Em 2018 iniciou a faculdade de Licenciatura em Música na Universidade Federal de Rondônia. Participou de Masterclass com os flautistas: Claudio Abrantes (Brasil), Rubem Schuemk (Brasil), Antônio Carrilho (Portugal), Marcio Páscoa (Brasil), Rogério Wolf (Brasil), Tatiane Gerassimova (Rússia). Como professor, ministrou masterclasses em diversas cidades do Estado de Rondônia. Ministrou Masterclass de flauta transversal na 8° edição do projeto música na estrada na cidade de Porto Velho, como performer se apresentou pelo Sesc Partituras, Orquestra Villa Lobos de Porto Velho, Orquestra Harmonia Celeste, Orquestra Sinfônica de Vilhena. Atualmente cursa o 7° período de Licenciatura em Música, ensina flauta transversal na Escola de Música Sol Maior de Porto Velho, e integra os grupos: Duo Piano e Flauta com o projeto Choro em Pauta, o Regional de Choro Espinha de Pirarucu e o Quinteto Teclas & Cordas.

SOBRE O CONCERTO SESC PARTITURAS

O Concerto Sesc Partituras é um projeto de música de câmara e concerto que disponibiliza o acesso às obras de compositores brasileiros, através do site do projeto, que é um banco de partituras com acesso gratuito a estudantes, professores, músicos e pesquisadores, incluindo, além da consulta, a visualização e possibilidade de download integral de cada obra musical. O site pode ser acessado através do link: https://sescpartituras.sesc.com.br/#/sescpartituras/home


Serviço: Concerto Sesc Partituras
Data: 25 de novembro de 2021
Horário: 20h (horário de Rondônia)
Valor: Gratuito
Local: Teatro I do Sesc Esplanada – Avenida Presidente Dutra, 4175, Olaria, Porto Velho/RO.
Transmissões: Youtube e Facebook do Sesc Rondônia
Ingressos limitados: https://cutt.ly/rR8xqoi

Acompanhe as ações do Sesc Rondônia nas redes
No Instagram: @sesc_ro
No Facebook: @sescrondonia  

Inscrições abertas para Oficina Literária

Atividade discutirá obras produzidas por autoras brasileiras contemporâneas

Estão abertas até o dia 21 de novembro as inscrições para a oficina “Ler Autoras Vivas”, ação formativa realizada pelo Sesc Rondônia que tem intuito de fomentar a leitura e discussão sobre obras produzidas por autoras brasileiras contemporâneas. Ministrada pela artista e professora Márcia Letícia Gomes (RO), a atividade acontecerá de 22 a 25 de novembro, das 19h às 22h (horário local), por meio da plataforma Google Meet.

Os interessados em participar da oficina podem realizar a inscrição por meio do formulário https://cutt.ly/tTvYg2k, sendo o único critério de seleção que os participantes tenham idade a partir de 16 anos.

A ação faz parte da programação do projeto Laboratório Cultural do Sesc, projeto de multilinguagens da Coordenação de Cultura, com a proposta de oferecer ações formativas nas 5 linguagens artísticas (Artes Cênicas, Artes Visuais, Audiovisual, Literatura e Música). O Laboratório é um espaço de construção coletiva, abarcando pesquisas, experimentações e processos de criação artística.

Para mais esclarecimentos, o telefone de contato é o da Coordenação de Cultura do Sesc Rondônia (69) 3229-6006 ramal 238/239. O link para acesso aos encontros será enviado por e-mail aos participantes selecionados. Ação será toda realizada de forma online e gratuita.

SOBRE A OFICINA

A oficina “Ler autoras vivas” será realizada em cinco módulos:

I – Literatura de autoria feminina – voz x silenciamento;

II – Conto brasileiro contemporâneo – narrativas produzidas por mulheres – Leitura e discussão de contos de Aline Bei, Natália Borges Polesso e Conceição Evaristo;

III – Por uma poética do feminino – poemas escritos por mulheres – Leitura e discussão de poemas escritos por Nilza Menezes, Mayra Mello, Mel Duarte;

IV – Ler mulheres escritas por mulheres – a construção de personagens femininas por Martha Batalha, Giovana Madalosso, Tatiana Salem Levy;

V – Escrita criativa – exercícios de escrita e partilha de escritos.

SOBRE A MINISTRANTE

A artista Márcia Letícia Gomes é doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande (Furg) e professora de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Rondônia (IFRO). A profissional também palestrante em temas como: migrações, direitos das mulheres, literatura de autoria feminina.


Serviço: Oficina Literária do Sesc Rondônia
Quando? 22 a 25 de novembro, das 19h às 22h (horário local)
Onde? Plataforma Google Meet
Formulário de inscrição: https://cutt.ly/tTvYg2k  
Realização: Sistema Fecomércio RO/Sesc/Senac

Acompanhe as ações do Sesc Rondônia nas redes
No Instagram: @sesc_ro
No Facebook: @sescrondonia

Circuito Sesc de Corridas abre inscrições para etapa virtual e solidária

Inscrições estarão abertas a partir de 16 de novembro e a renda obtida será revertida para o programa Mesa Brasil Sesc

O Circuito Sesc de Corridas e o Mesa Brasil Sesc estão juntos novamente para uma ação de solidariedade. Entre os dias 4 e 12 de dezembro será realizada uma  nova etapa virtual do circuito, com valor dos ingressos revertido para a compra de cestas básicas, que serão destinadas a famílias em situação de vulnerabilidade. As inscrições começam dia 16 de novembro e podem ser feitas pelo site www.sesc.com.br/circuitodecorridas.

De acordo com Anderson Dalbone, Gerente de Lazer do Departamento Nacional do Sesc, incentivar a prática de atividade física aliada a uma ação solidária é muito gratificante. “Esse projeto nasceu justamente como a proposta de difundir um estilo de vida mais saudável. Associá-lo a uma ação tão importante como o combate à fome é mais um motivo para essa mobilização”, observa.

Interessados em participar da prova poderão se inscrever até o dia 28 de novembro, mediante doação no valor de R$ 20, que dá direito a camisa e medalha da etapa virtual do Circuito Sesc de Corridas. A prova será realizada em data, local e horário escolhidos pelo participante, dentro do período de 4 a 12 de dezembro. Os corredores poderão cumprir o percurso de 5km em ambiente externo ou em esteira ergométrica.

Para não deixar os atletas sem aquele momento tradicional de entrega da medalha no final da prova, será disponibilizado um filtro no Instagram Sesc Brasil, onde o corredor poderá aplicar a imagem da premiação na sua foto. Depois, basta compartilhar o resultado com os amigos nas redes sociais, marcando com #circuitosescdecorridas. A camisa e a medalha serão entregues em janeiro, nas unidades indicadas pelos participantes em cada estado. Participam do evento os estados do Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Circuito Sesc de Corridas

Criado em 2018, o Circuito Sesc de Corridas está presente em todas as regiões do país, reunindo anualmente mais de 120 provas de rua. Em função da pandemia, o evento acontece pelo segundo ano em formato virtual. O projeto busca incentivar a prática de exercícios físicos e um estilo de vida saudável. As provas acontecem tanto nos grandes centros como em municípios do interior e comunidades periféricas, ampliando o acesso para os atletas e incentivando iniciantes na modalidade. Outra característica do circuito é promover a integração dos participantes e familiares, por meio de ações de lazer e entretenimento, realizadas paralelamente às provas, como jogos educativos, aulões de ginástica e recreação. 

X