Categoria Cultura

Encontro de Corais

Da Ars Antigua à Ars Nova, do Cantochão à Ópera, do Lied às canções populares, a música vocal demonstra a sua beleza e força, permeando toda a história da evolução das artes. Sabendo da grande importância da música vocal, o Sesc Encontro de Corais, levará ao público um recorte do cancioneiro Popular brasileiro arranjado para Coro de vozes. Neste encontro teremos a participação de sete grupos corais da capital do Estado, sendo eles: Coral Laio; Vocal Gileade; Coral Canto Livre; Grupo Vocal Cantadô; Canto na Unir; Coral Sol Maior; e, Vozes do Madeira.

Para as ações formativas teremos desenvolvimento de experimentações no dia 30 e oficinas, com os temas: começando um Coral (com a regente Sabrynne Sena), e Práticas e saberes do canto ( com Professora Ezenice Bezerra).

Link para as inscrições das oficinas:

Oficina: Começando um Coral com Sabrynne Sena https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfAsPRVZq74f5LnJrB0Amu7AeDMFneZdBoZCSGGIN0lO6bSEg/viewform
Oficina: Práticas e saberes do Canto com Ezenice Bezerra https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdglOw1FFIIjGhiZ90WhQLDNmtxjiWlMJlaVr_1hmEYOtWLsA/viewform

Programação

Dia 30

Desenvolvimento de experimentações
Conjunto de ações que visa desenvolver artistas, fornecendo condições para experiências e criações inovadoras. Caracteriza-se como oportunidade para troca de experiências, vivências, pesquisa de linguagens e conteúdos para o desenvolvimento individual, coletivo e livre criação, além de ensaios.
No desenvolvimento de experimentação, faremos uma troca de saberes entre os coralistas e os regentes, além de aprofundar a importância do Canto Coral para a Cidade de Porto Velho meio da exposição volutária da ação de cada crupo coral. E Tambem faremos o ensaio geral da música Terreiros do compositor Rondoniense Francisco Lazaro, Laio.
Horário: 17:00 às 19:00
Mediador: Adson Nascimento

Roteiro das apresentações dia 30

20h – Abertura
20h05 – Coral Laio

20h20 – Vocal Gileade

20h45 – Coral Canto Livre

21h05 – Grupo Vocal Cantadô

21h40 – Terreiros – Francisco Lazaro – Laio (Todos os corais)
22h00 – encerramento

Dia 31

Oficina: Começando um Coral
Oficineiro: Regente Sabrynne Sena
Horário: 9h00 – 13h00
Local: Teatro 1 do Sesc Esplanada

Informações sobre a oficina

Para construir um coro de vozes, é necessário ter o conhecimento de vários conteúdos como respiração, saúde vocal, postura corporal, organização e escuta, tempo de ensaio, repertório e apresentação, etc. A oficina visa abordar estes conteúdos de forma clara e objetiva, trazendo luz ao campo da música Coral.
Sabrynne Sena é natural de Teresina- PI. Graduada em Educação Musical e Artes Visuais, ambas pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Pós-graduada em Educação Especial Inclusiva, Gestão Cultural, Direção de Arte, Regência Coral e é técnica em Musicografia Braille. Maestrina premiada, com vasta tuação na cena coral do Estado, assinou várias produções artisticas, rege diversos corais na capital do Estado, dentre eles estão: coral do Ministério Público do Estado de Rondônia; coral do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia; coral da Energia Sustentável do Brasil .É professora de arte efetiva da Secretaria de Educação do Estado de Rondônia na cidade de Porto Velho -RO, e está chefe do Núcleo de Arte e Cultura escolar –SEDUC.

Dia 31

Oficina: Práticas e saberes do Canto
Oficineiro: Prof. Ezenice Bezerra
Horário: 16h00 – 19h00
Local: Teatro 1 do Sesc Esplanada

Informações sobre a oficina
Esta oficina tem como objetivo preparar o cantor para a performance musical, artística, física e didática, assim como dar indicações de como iniciar um grupo coral, levando em conta a faixa etária, experiência e educação musical.
Ezenice Bezerra é Mestre em Educação Escolar do Mestrado Profissional em Educação Escolar da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Faz parte do Grupo de Pesquisa Multidisciplinar em Educação e Infância (Grupo EDUCA), do Departamento de Ciência da Educação, do Núcleo de Ciências Humanas, da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Pós-graduação em Metodologia do Ensino Superior pela Uniron – Porto Velho (2009). É Graduada em Licenciatura Plena em Educação Artística – Música pela Universidade do Estado do Pará – UEPA (2001). Bacharel em Música Sacra pela STBE – Seminário Teológico Batista Equatorial (1995), Belém – PA, onde atuou como coordenadora (2 anos) e professora do Departamento de Música (13 anos) das disciplinas Técnica Vocal, Canto, Regência Coral, Grupo de Sinos, Introdução à Música e Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Foi professora concursada em Artes, atuando na capital do Estado por 2 anos. Atualmente é professora do Magistério Superior do Departamento de Música – UNIR, ministrando as disciplinas de Técnica Vocal, Canto Coral, Flauta, Estágio Supervisionado, Regência e TCC. Palestrante em eventos de Educação Musical, Técnica Vocal, Canto em Grupo e Canto Coral.

Roteiro das apresentações dia 31

20h00 – Abertura
20h05 – Canto da Unir

20h20 – Vozes do Madeira

20h45 – Coral Sol Maior

21h20 Terreiros – Francisco Lazaro – Laio (Todos os corais)

22h00 encerramento

Exposição Fotográfica Nambiquaras

A Política Cultural do Sesc entende à cultura como um direito indissociável aos direitos humanos. Propõe por meio de suas diretrizes a promover manifestações artístico-culturais de modo a garantir condições para o diálogo entre a pluralidade das manifestações, observando suas especificidades de linguagens e seu hibridismo, enfatizando processos de criação e experimentação, sobretudo o diálogo permanente dos diversos públicos.

No mês de agosto, em uma proposta interlinguagem a Galeria do Sesc – Centro em Porto Velho, acompanha a programação do SONORA BRASIL 2019, com o tema A Música dos Povos Originários, trazendo a Exposição Fotográfica NAMBIQUARAS, Memória e Cultura de um Povo Guerreiro, do fotógrafo Washington Kuipers com a produção do Serpentário Produções.

A exposição fotográfica NAMBIQUARAS: Memória e Cultura de um Povo Guerreiro, busca valorizar a cultura dos povos indígenas presente em Rondônia através da exposição das fotos que retratam seu cotidiano, festas e tradições. Por seu valor histórico e cultural a exposição utiliza-se da linguagem fotográfica como registro e ferramenta de manutenção e preservação da memória social, sobretudo, a memória coletiva em um diálogo entre indígenas e não-indígenas.

A abertura da exposição será no dia 15 de agosto às 16h00 na Galeria do Sesc – Centro Av. Presidente Dutra, 2765 – Centro (ao lado dos Correios), ocasião em que faremos um diálogo com o fotógrafo Washington Kuipers.

As obras ficam expostas na Galeria do Sesc Centro em Porto Velho, entre os dias 15 e 31 de agosto 2019, de segunda a sexta das 09h00 às 16h00 e aos sábados das 10h00 às 13h00. A exposição conta com a monitoria da estudante de pedagogia Ana Cassupá. Venha prestigiar mais uma exposição do Sesc Rondônia. Programação gratuita.

Sonora Brasil 2019

O Sonora Brasil é considerado o maior projeto de circulação musical do país, realizando aproximadamente 450 concertos por ano, passando por mais de 100 cidades, a maioria distante dos grandes centros urbanos. O projeto possibilita à população o contato com a qualidade e a diversidade da música brasileira e contribui para o conjunto de ações desenvolvidas pelo Sesc visando à formação de plateia. Para os músicos, propicia uma experiência ímpar, colocando-os em condição privilegiada para a difusão de seus trabalhos e, consequentemente, estimulando suas carreiras.
O Sonora Brasil busca despertar um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão da música no país, incentivando novas práticas e novos hábitos de apreciação musical, promovendo apresentações de caráter essencialmente acústico, que valorizam a autenticidade sonora das obras e de seus intérpretes e contribuem para a memória da cultura musical brasileira.
O projeto tem como objetivo difundir a diversidade da música brasileira a partir de recortes temáticos que abordam aspectos de seu desenvolvimento, com especial atenção à música de concerto e à música de tradição.

Em Rondônia o Sonora Brasil acontecera nos dias 13, 14, 15 e 16 de agosto em Porto Velho e nos dias 15, 16, 17 e 18 de agosto em Ji-Paraná.

Programação de Porto velho

13 a 16/08
Instalações Artísticas
A oca – Povo Karitiana
Territórios – Povo Paiter Surui

13/08
Abertura Às 19h
Local: Teatro 1 do Sesc Esplanada
Mesa de Abertura: Diálogos sobre povos originários
Valdenilda Massaka Karitiana(RO)
Heliton Gavião (RO)
Apresentações: Kariri-xocó (al) & Fulni-ô (PE)
Grupo Dzubucuá Do Povo Kariri-xocó
Grupo Memória Fulni-ô

14/08
Abertura às 19h

Local: Teatro 1 do Sesc Esplanada
Mesa de Abertura: Diálogos sobre povos originários
Ivaneide Bandeira Cardozo (RO)
Profº Marco Teixeira (RO)
Apresentações: Paiter Surui (RO) & Karitiana (RO)
Grupo Wagôh Pakob do Povo Paiter Surui
Grupo Byjyyty Osop Aky do Povo Karitiana

15/08
Abertura às 16h

Local: Galeria Sesc Centro
Exposição Fotográfica
“Nambiquaras: Memória e Cultura de um Povo Guerreiro”
Data: de 15 a 31 de Agosto
Seg/ Sex das 09h às 16h
Sábado das 10h às 13h
Apresentações às 20h
Local: Teatro 1 do Sesc Esplanada
Apresentações: Guarani Mbya (RS) Kaingang (RS)
Grupo Teko Guarani do Povo Mbyá-guarani
Grupo Nóg Gã do Povo Kaingang

16/08
Oficinas às 14h
Local: Sesc Esplanada
Oficina: Cantos Da Floresta – Uma Aproximação
Com O Universo Sonoro Indígena Brasileiro Com Magda Pucci.
Local: Teatro Do Sesc Às 14h
Oficina: Os Cantos Que Acalentam Os Encantados
E Os Instrumentos Sagrados Com Djuena Tikuna E Diego Janatã
Local: Sala De Dança Do Sesc Às 14h
Apresentações às 20h
Local: Teatro 1 Do Sesc Esplanada
Apresentações: Grupo Wiyae / Djuena (AM),
Diego (MA), Magda (SP) Gabriel (SP)

Link para inscrição das oficinas:
Oficina: Os cantos que acalentam os encantados e os instrumentos sagrados.
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSed4eAFBdwAE0UJPgeyq-YI7mYiip84hgT3dIHJAX7fuf10dg/viewform

Oficina: Cantos da Floresta – uma aproximação com o universo sonoro indígena brasileiro.
https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdew1xzoQVwzFLleasL36W724cW6b_03jYNjUYibSkN18qKDg/viewform

Programação Ji-Paraná

  • 15/08
    KARIRI-XOCÓ (AL) & FULNI-Ô (PE)
    APRESENTAÇÃO: TEATRO DOMINGUINHOS
    AS 20h – LIVRE
  • 16/08
    PAITER SURUI (RO) & KARITIANAS (RO)
    APRESENTAÇÃO: TTEATRO DOMINGUINHOS
    AS 20h – LIVRE
  • 17/08
    GUARANI MIBYA (RS) & KAIGANG (RS)
    APRESENTAÇÃO: TEATRO DOMINGUINHOS
    AS 20h – LIVRE
  • 18/08
    WIYAÉ (SP) MAGDA, MARLUI, DJUENA
    APRESENTAÇÃO: TTEATRO DOMINGUINHOS
    AS 20h – LIVRE

Laboratório Cultural – Workshop de WEB TV

O Projeto Sesc Laboratório Cultural, projeto multilinguagens da coordenação de cultura do Sesc Rondônia tem como proposta oferecer ações formativas nas 05 linguagens artísticas (artes cênicas, artes visuais, audiovisual, música e literatura). Pensado enquanto desenvolvimento de espaços de construção coletiva, abrangendo pesquisas, experimentações e processos de criação artístico-culturais.
A Web TV é a possibilidade de se produzir conteúdo próprio e dialogar com as demais mídias sociais, a partir das perspectivas e capital cultural de quem produz o conteúdo, ou seja, você!
Agora no mês de junho ofereceremos nos dias 27 e 28 das 08h às 12h o Workshop de Web TV com o professor Jonatam Figa, fundador da FIGATV.
É a oportunidade de você aprender a produzir conteúdos com o seu celular, para a sua própria Web TV.

LINK PARA INSCRIÇÃO:
https://forms.gle/S2252dHwqcpdgKRW9

INFORMAÇÕES: COORD. CULTURA (69) 3229-6006 – RAMAL 238 E 239
FACEBOOK SESC RONDÔNIA

Projeto Arte da Palavra – Teatro de Boneco em Miniatura

Com quem?
Genifer Gerhardt Siqueira Dimpério é palhaça, bonequeira e poeta. Nascida em Santa Cruz do Sul/RS, é formada em Licenciatura em Teatro pela Universidade Federal da Bahia (2005 a 2008). Apresentou-se e realizou trocas culturais (2009) em povoados dos estados da Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul com seus dois espetáculos: “Gringa Errante” e “Mundo Miúdo”. Neste projeto andou sozinha de mochilão do Nordeste ao Sul do Brasil por mais de 4 mil quilômetros durante 73 dias, a trocar, conhecer as culturas, as atividades e as sabedorias dos habitantes dos povoados.
Em 2012 recebeu o Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz para montagem do espetáculo “Brasil Pequeno”, um solo com bonecos em miniatura inspirado em histórias ouvidas durante seu andar. Pelo projeto fez uma temporada de apresentações em 12 residências de diferentes bairros de Porto Alegre/RS. Recebeu Prêmio Revelação 2013 nas categorias Melhor Atriz e Melhor Espetáculo por “Brasil Pequeno” através da Prefeitura Municipal de Porto Alegre – Secretaria Municipal da Cultura.
Em 2014 lançou o “Brasil Pequeno Itinerante” com a mesma proposta de apresentação com bonecos em miniatura, mas agora a contar diferentes histórias nas ruas e também espaços públicos. Ainda em 2014 foi premiada pelo projeto “Brasil Pequeno Itinerante” – um retorno às povoações visitadas em 2009 – Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz 2014. Pelo prêmio viajou do Sul ao Nordeste (Bahia).
Após este período seguiu a itinerar com suas apresentações artísticas, de maneira independente em sua casa-rodante e junto a seu filho de 2 anos, nos Estados de Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Maranhão, Tocantins, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além da Região Sul. A viagem durou um ano, onde percorreram (mãe e filho) 19.500 quilômetros.
 
Local: Sesc Esplanada – Teatro 1
Data: 24 de julho de 2019
Classificação: Livre
Ingresso: Gratuito
 
Informações (69) 3229-6006/5882 – ramal 238 / 239
www.sescro.com.br
Facebook Sesc Rondônia

Workshop de Ilustração – Oficina de Criação Literária – Projeto Arte da Palavra

Sobre a oficina:

Nesta oficina trabalharemos a criação de imagens focada no conceito teórico e prático de contraste. Estudando principalmente o contraste na morfologia e sua influência na construção de signos visuais. Percebendo como o contraste morfológico afeta as possíveis interpretações do leitor, os diferentes níveis de leitura de uma ilustração, assim também como a relação da figura e o fundo, e a construção do espaço subjetivo.
Serão estudados os diferentes tipos de contrastes seguindo a “Teoria da Forma” da Gestalt, métodos de construção espacial na bidimensão, indicadores de profundidade espacial, construção de signos visuais e potência da síntese nas imagens.
Público Alvo:
Trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo, seus dependentes, Ilustradores, artistas plásticos, artistas gráficos, estudantes e interessados em literatura, professores, entre outros.

*25 vagas*
Quem? Anabella López
Quando: 01 a 05 de julho
Onde? Sesc Esplanada – Sala de Treinamento
Horário? 18h30 às 21h30

A imagem de cabeçalho está disponível em: http://anabellalopez.com/pt/
Inscrições: https://t2m.io/2U9XqWjp

Tatamirô Grupo de Poesia

O recital PALAVR(A)RMADURA tem como foco a linguagem em suas múltiplas interações verbovocovisuais. PALAVR(A)RMADURA incorpora outras sonoridades (ruídos, distorções, sobreposição de vozes, poemas autorais e de outros poetas brasileiros e estrangeiros), criando texturas poéticas denominados poemas sonoros.

Tatamirô Grupo de Poesia – O Tatamirô Grupo de Poesia é um grupo amapaense de declamação de textos poéticos, sejam eles escritos na forma de prosa ou verso em suas múltiplas manifestações verbovocovisuais. Criado em abril de 2009, o Grupo nasceu do desejo de dizer Poesia às pessoas. De colocar a voz a serviço da Poesia. De falar as coisas do mundo de forma diferente.

Local: Tapiri
Rua: Franklin Tavares, 1353
Bairro: Pedrinhas
Horário: 20h
Ingresso: Gratuito
Informações: (69)3229-6006/5882 / ramal 238, 239

Aulas de Teatro do Sesc

As aulas de teatro no Sesc Esplanada têm duração de 5 meses, de julho a novembro de 2019. Seus cinco diferentes módulos são divididos por idade, sem necessidade de conhecimento prévio. São eles: teatro para a 3ª idade; teatro para jovens; teatro para crianças; teatro para adultos.

Programação (datas, horários, local, faixa etária)

1. Aula de teatro para crianças (de 7 a 12 anos): segunda e quarta, das 16 às 18 horas; início 01/07/2019 e término 25/11/2019.

2. Aula de teatro para jovens (de 13 a 15 anos): terça e quinta, das 16 às 18 horas; início 02/07/2019 e término 26/11/2019.

3. Aula de teatro para adultos (a partir de 16 anos): segunda e quarta, das 19 às 21 horas; início 01/07/2019 e término 25/11/2019.

4. Aula de teatro para 3ª idade (somente para o grupo do Sesc): segunda e quarta, das 14 às 16 horas; início 01/07/2019 e término 25/11/2019.

Tabela de preços

Público em geral: R$ 110,00

Trabalhador do comércio ou dependentes: R$ 55,00

Prêmio Sesc de Incentivo às Artes Cênicas 2019

Como parte das ações do Programa Cultura o Sesc Rondônia lança o edital do projeto Prêmio Sesc de Incentivo as Artes Cênicas 2019. Este projeto tem o objetivo de selecionar 3 (três) grupos de Artes Cênicas do estado de Rondônia, para receberem uma premiação, cujo recurso deverá ser empregado na montagem de um espetáculo e posteriormente na circulação nas unidades do Sesc Rondônia, bem como desenvolvimento de ações formativas, conforme calendário pré-agendado pelo Sesc. Os projetos deverão se enquadrar, obrigatoriamente, em uma das categorias mencionadas no edital que são: teatro, dança ou circo.

Os projetos deverão ser entregues no período de 03 a 24 de junho pelos Correios (carta registrada) ou diretamente na Coordenação de Cultura do Sesc Esplanada. Cada um dos três projetos contemplados receberão um auxílio no valor de R$ 28 mil reais, sendo o pagamento efetuado em três parcelas, descontados os impostos e contribuições previstos na legislação em vigor e depositado obrigatoriamente na conta bancária do premiado.

Cada proponente poderá concorrer somente com um projeto, e a escolha dos projetos contemplados será realizada por uma comissão composta por quatro técnicos especializados da Coordenação de Cultura do Sesc. Confira o edital e mais informações no endereço http://sescro.com.br/ ou através do telefone (69) 3229-6006 ramal 238 / 239.

Acesse o Edital aqui ou pelo link https://t2m.io/hCn4wJGg

Resultado
Anexo

Roteiro para HQ e técnicas de desenho

Oficina de Criação Literária: Processo de produção de roteiro para HQ e introdução a técnicas básicas de desenho.
Objetivo: Oferecer ações que atuem em toda cadeia brasileira, incluindo a formação e a divulgação de novos autores;
– Valorizar novas formas de produção e fruição literária;
– Difundir a produção literária;
– Estimular o intercâmbio entre escritores/oficineiros, multiplicando as metodologias e olhares sobre a escrita literária;
– Despertar e desenvolver o prazer pela estética da palavra

INSCRIÇÕES PELO LINK: https://t2m.io/h5sZ95r6

Local: Sesc Esplanada – Sala de Treinamento
Data: 27 a 31 de maio 2019
Faixa Etária: A partir de 16 anos
Ingresso: Gratuito

ACOMPANHE AQUI! Mostra Sesc Amazônia das Artes 2019

Galeria de fotos

Considerando o aspecto geopolítico, a semelhança sócio econômica dos estados da Amazônia legal e a dificuldade que os artistas dessa região têm em circular sua produção, o Projeto Sesc Amazônia das Artes desde sua primeira edição, se preocupou em fomentar o fazer cultural, por meio da circulação regional das linguagens artísticas. Em 2008, O Teatro, a Dança, a Música, a Arte plástica e Circo tiveram representantes de todos os estados no projeto. Atualmente todas as linguagens das artes estão inseridas no circuito, o qual classifica o SESC Amazônia das artes como um dos mais importantes e potentes projetos de difusão das artes da Amazônia.
A linguagem circense por sua vez, foi representada desde o início do projeto pelo espetáculo A MENINA E O PALHAÇO dos artistas acreanos Dinho Gonçalves e Marilia Bomfim. Onze anos depois, é a vez do espetáculo BOXE COM PALHAÇADA do grupo Compalhaçada do Amazonas que tem no elenco Ariane Feitoza (Cafuxa), Jean Linhares (Meio Fino) e Idelson Mouta (Debiloide) que tem em comum em suas carreiras a participação no projeto Trupe da Alegria que realizavam Contações de estórias em espaços públicos da cidade de Manaus.
Após o convite para participar de um festival de cenas curtas que aconteceria no teatro amazonas, a trupe decidiu montar o espetáculo circense, BOXE COM PALHAÇADA que lhes rendeu o primeiro lugar no evento e logo em seguida o reconhecimento por meio de prêmios diversos. 
Como explicito no título, BOXE COM PALHAÇADA é um espetáculo cujo enredo se constitui no conjunto encadeado de números cômicos circenses, em um pano de fundo que desenha uma disputa entre os dois palhaços, Meio Fino e Debiloide, pelo amor da palhaça Cafuxa. 
O que presenciamos são movimentos, peripécias e traquinagens que levam o público ao riso certo. Tudo é iniciado com a apresentação dos palhaços ao público, como é de praxe na arte da palhaçaria. Logo depois é estabelecido o “problema” e, fundamentalmente, a cumplicidade com o espectador que se torna parte do espetáculo, uma hora sendo galanteado pelos palhaços, hora servindo de torcida organizada durante a luta de boxe e principalmente como composição real de um ringue, pois, sempre são escolhidos quatro homens que seguram as cordas no picadeiro servindo também de gongo, para quando a luta ficar “intensa”. 
O espetáculo tem uma esfera tradicional, os personagens de tão genuínos, precisam apenas entrar em cena, para despertar o riso da plateia. 
O enredo não é novo nem complexo, as gags (piadas clássicas de palhaço) são simples e funcionais. A ideia de se montar um ringue para o desdobramento da estória vem da inspiração do grupo em outros espetáculos de palhaços. Essa mesma ideia que foi apresentada no espetáculo Boxe Entrée (1961) do palhaço Rudi Llata que até hoje vem sendo refeita de diversas formas.
Por fim, após o espetáculo tivemos a oportunidade de bater um papo com o grupo, expondo todo o processo de montagem, suas experiências como artista de circo enfatizando que mesmo com um espetáculo que agrada a todos, infelizmente encontram dificuldades em se manter exclusivamente da arte do circo tendo que recorrer a outras profissões que lhe garantam a sobrevivência. 
Com isso, é despertado na plateia uma outra visão sob tudo que foi apresentado. Após alguns minutos de conversa com o elenco é entendido que a luta que esses palhaços enfrentam não é apenas pelo amor da palhaça Cafuxa e sim, pela resistência de continuar viva a arte do circo tradicional.

Texto: Fabiano Barros (Dramaturgo)
Fotos: Raissa Dourado

Abertura do Sesc Amazônia das Artes 2019

No último sábado dia 04 de maio, o Sesc Rondônia iniciou na cidade de Ji-Paraná, um dos maiores e mais potentes projetos de fomento direcionado à cultura da região amazônica, o “Sesc Amazônia das Artes” que consiste na circulação de espetáculos de dança, música, teatro, circo, exposições de artes plásticas, mostras de cinema, ações de literatura e atividades formativas. Em seus doze anos de existência, o projeto possibilitou que centenas de artistas amazônicos, escoassem suas obras nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, que compõem a Amazônia legal. E o Piauí, estado convidado por se aproximar da realidade dos outros nove.

Na noite do lançamento, na unidade do Sesc Clementina, o projeto apresentou o espetáculo musical “Minha Ancestralidade” com a cantora Nega Lu e a banda constituída por Wilson Barbosa de Oliveira, Lucas Mello de Oliveira, Weslley Henrique Ribeiro Dourado, Leandro Rodrigues Ladeia, Lênin Pillar Corrêa e José Carlos Lagos da Silva.

Nascida em Rondonópolis no Mato Grosso, Nega Lu iniciou sua carreira musical na igreja. Após ter uma longa experiência como contrabaixista nas noites de sua cidade, a cantora participou de diversos programas e concursos locais e nacionais, sendo a primeira colocada no quadro NOVOS TALENTOS e BEM MATOGROSSO. Desde então, Nega Lu faz apresentações com o grupo intitulado “Banda da Nega” levando um repertório eclético por todo Estado mato-grossense.

Poucas vezes os ouvidos do Brasil deram a devida atenção às vozes negras de suas mulheres, que há décadas, vem soando tão majestosamente negra, na representação de grandes cantoras como, Joaquina Lapinha, Jovelina Pérola Negra, Clementina de Jesus, Elza Soares, Dona Ivone Lara, Zezé Motta, Alcione, Lia de Itamaracá, Sandra de Sá e tantas outras que são referências e motivação para outras vozes negras da contemporaneidade.

Minha ancestralidade, espetáculo apresentado pela mato-grossense Nega Lu, traz em seu primeiro momento uma representação de sua memória, que de forma poética e branda desperta a atenção do público para assuntos históricos relacionados a realidade do negro no Brasil. Entrelaçadas a uma partitura afro, as letras de sua autoria prende a atenção de todos numa narrativa que expõe e nos convida a refletir assuntos muitas vezes deixado pra depois. “O que fazer se existe alguém do lado precisando de você?” e “Eu tenho orgulho da minha raça e da minha cultura”, são duas das muitas frases do espetáculo que igual ao som de um eco longo, fica ecoando em nossas mentes. Afinal essa é a proposta da artista que ao criar, Minha Ancestralidade, buscou “revisar, interrogar e reexaminar os eventos históricos” dessa ancestralidade que não é algo particular de Nega Lu e sim de todos que se fizeram presentes, independentemente da cor da sua pele. Na segunda parte, fomos presenteados por músicas que falavam de amor, assim nos possibilitando vislumbrar da extensão e multifaces do trabalho de Nega Lu, que encantou o público de Ji-Paraná que a anos adotou o projeto Sesc Amazônia das artes, permitindo assim, contemplar espetáculos tão significativos, que despertam o senso crítico, para uma reflexão do si e da realidade que os permeiam.

Texto: Fabiano Barros – Dramaturgo

Fotos: Raissa Dourado