Arquivo de tag sesc amazonia das artes

Abertura do Sesc Amazônia das Artes 2019

No último sábado dia 04 de maio, o Sesc Rondônia iniciou na cidade de Ji-Paraná, um dos maiores e mais potentes projetos de fomento direcionado à cultura da região amazônica, o “Sesc Amazônia das Artes” que consiste na circulação de espetáculos de dança, música, teatro, circo, exposições de artes plásticas, mostras de cinema, ações de literatura e atividades formativas. Em seus doze anos de existência, o projeto possibilitou que centenas de artistas amazônicos, escoassem suas obras nos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins, que compõem a Amazônia legal. E o Piauí, estado convidado por se aproximar da realidade dos outros nove.

Na noite do lançamento, na unidade do Sesc Clementina, o projeto apresentou o espetáculo musical “Minha Ancestralidade” com a cantora Nega Lu e a banda constituída por Wilson Barbosa de Oliveira, Lucas Mello de Oliveira, Weslley Henrique Ribeiro Dourado, Leandro Rodrigues Ladeia, Lênin Pillar Corrêa e José Carlos Lagos da Silva.

Nascida em Rondonópolis no Mato Grosso, Nega Lu iniciou sua carreira musical na igreja. Após ter uma longa experiência como contrabaixista nas noites de sua cidade, a cantora participou de diversos programas e concursos locais e nacionais, sendo a primeira colocada no quadro NOVOS TALENTOS e BEM MATOGROSSO. Desde então, Nega Lu faz apresentações com o grupo intitulado “Banda da Nega” levando um repertório eclético por todo Estado mato-grossense.

Poucas vezes os ouvidos do Brasil deram a devida atenção às vozes negras de suas mulheres, que há décadas, vem soando tão majestosamente negra, na representação de grandes cantoras como, Joaquina Lapinha, Jovelina Pérola Negra, Clementina de Jesus, Elza Soares, Dona Ivone Lara, Zezé Motta, Alcione, Lia de Itamaracá, Sandra de Sá e tantas outras que são referências e motivação para outras vozes negras da contemporaneidade.

Minha ancestralidade, espetáculo apresentado pela mato-grossense Nega Lu, traz em seu primeiro momento uma representação de sua memória, que de forma poética e branda desperta a atenção do público para assuntos históricos relacionados a realidade do negro no Brasil. Entrelaçadas a uma partitura afro, as letras de sua autoria prende a atenção de todos numa narrativa que expõe e nos convida a refletir assuntos muitas vezes deixado pra depois. “O que fazer se existe alguém do lado precisando de você?” e “Eu tenho orgulho da minha raça e da minha cultura”, são duas das muitas frases do espetáculo que igual ao som de um eco longo, fica ecoando em nossas mentes. Afinal essa é a proposta da artista que ao criar, Minha Ancestralidade, buscou “revisar, interrogar e reexaminar os eventos históricos” dessa ancestralidade que não é algo particular de Nega Lu e sim de todos que se fizeram presentes, independentemente da cor da sua pele. Na segunda parte, fomos presenteados por músicas que falavam de amor, assim nos possibilitando vislumbrar da extensão e multifaces do trabalho de Nega Lu, que encantou o público de Ji-Paraná que a anos adotou o projeto Sesc Amazônia das artes, permitindo assim, contemplar espetáculos tão significativos, que despertam o senso crítico, para uma reflexão do si e da realidade que os permeiam.

Texto: Fabiano Barros – Dramaturgo

Fotos: Raissa Dourado